Notícias

Judocas brasileiras vão a Moscou, para “treino de luxo” rumo à Olimpíada

Capital russa recebe seu Grand Slam, mais uma etapa do Circuito Mundial, neste fim de semana, onde estarão alguns dos melhores judocas do mundo

  • -A
  • +A
Do R7

Maria Portela diz que, além da chance de encontrar as rivais mais difíceis antes da Olimpíada, viagem ajuda a unir mais a equipe. Divulgação/CBJ

A equipe feminina de judô embarca nesta quarta-feira (23) para a Rússia, onde disputa o Grand Slam de Moscou no sábado (26) e domingo (27). A competição é uma das etapas do Circuito Mundial da FIJ (Federação Internacional de Judô). O Brasil terá Sarah Menezes (48 kg), Érika Miranda (52 kg), Rafaela Silva (57 kg), Mariana Silva (63 kg), Maria Portela (70 kg), Mayra Aguiar (78 kg), Maria Suelen Altheman (+78 kg) – que irão à Olimpíada de Londres -, além de Eleudis Valentim (52 kg) e Camila Minakawa (57 kg).

Após a disputa do Grand Slam de Moscou, a equipe permanece a Rússia para um treinamento internacional. Na sequência, as brasileiras seguem para a Alemanha, para mais um período de treinos, em Colônia. O retorno para o Brasil está previsto para 8 de junho.

Ouro no Campeonato Pan-Americano, prata no Grand Prix de Dusseldorf e bronze na Copa do Mundo de Budapeste desta temporada, Maria Portela falou sobre o torneio de Moscou na preparação olímpica.

- Vejo o Grand Slam como um treino de luxo. Venho de bons resultados neste ano e meu objetivo é competir sem a pressão de ter de estar no pódio. Já observei a lista de inscritos e vi que algumas das minhas principais adversárias também estarão lá. Terei mais uma chance de lutar com elas antes da Olimpíada.

Conheça Rosicléia Campos, a técnica das judocas olímpicas

Maria Portela também acredita que os treinos na Rússia e Alemanha ajudem a unir mais a equipe.

Para o Grand Slam de Moscou estão inscritos 234 atletas (90 mulheres) de 41 países.

A equipe brasileira masculina se prepara em Tóquio, no Japão.

Judô tem chance de medalhas olímpicas em número e qualidade

A Rede Record mostrará a Olimpíada de Londres 2012 com exclusividade na TV aberta brasileira, e também pela internet, por meio do R7. A Record detém ainda os direitos de transmissão dos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015 e da Olimpíada do Rio de Janeiro 2016.

Grande salto no judô se deve a preparação individualizada

Quadro de Medalhas

Últimas Notícias

Agora na Record

Facebook