Notícias

Após ouro nas argolas, Zanetti busca patrocinadores e destaque no cenário internacional

Ginasta e o velejador Bruno Prada participaram de bate-papo com internautas nesta sexta-feira

  • -A
  • +A

Bruno Prada e Arthur Zanetti trouxeram medalhas para o Brasil (Foto: Montagem R7/AFP)

Do R7

Na última segunda-feira (6), o ginasta Arthur Zanetti fez história e ganhou medalha de ouro para o Brasil nas argolas na ginástica olímpica, em Londres 2012. A conquista foi a primeira do País na modalidade em toda a existência dos Jogos Olímpicos, essa pode ser a grande chance de Zanetti ganhar mais destaque no cenário internacional.

O ginasta participou de um bate-papo com internautas exibido pelo R7, nesta sexta-feira (10), junto com o velejador Bruno Prada, que ganhou medalha de bronze na classe laser, ao lado de Robert Scheidt. Também participou do bate-papo o secretário de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser.

Zanetti, que volta a treinar na próxima segunda-feira (13), disse que a medalha é uma grande chance de fazer  não só sua carreira, mas também a ginástica brasileira, ganhar mais destaque no cenário internacional.

Arthur Zanetti conquista ouro nas argolas e ganha primeira medalha olímpica da ginástica brasileira

— Com essa medalha olímpica, acho que vai abrir portas para o patrocínio [para mim]. Acho que abrindo algumas portas para mim, vai abrir mais portas para a ginástica, e isso faz com que a ginástica brasileira seja mais conhecida.

Apesar disso, Arthur acredita que é necessário maior incentivo do governo e das empresas nos atletas, para que mais brasileiros possam representar o país no exterior e trazer mais medalhas.

— O incentivo na estrutura na ginástica está tendo, mas as empresas deveriam começar a dar mais incentivo para a equipe de base e para a equipe de alto rendimento. Está tendo incentivo, mas precisa de muito mais.

Scheidt e Prada largam mal e ficam apenas com o bronze na classe Star dos Jogos Olímpicos

Esse maior incentivo já está sendo planejado e pode vir em breve, segundo Ricardo Leyser. O secretário afirmou que diversas parcerias com as confederações esportivas estão sendo negociadas.

— No caso da ginástica, nós fizemos um investimento na confederação para comprar uma série de equipamento, que não são baratos. A ideia é ter dez centros no Brasil que possam trabalham esse investimento a sério.

O secretario disse também que o governo já está estudando a infraestrutura para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, e que está sendo analisado o que foi feito em Londres-2012 e Pequim-2008, para que a organização do evento no Brasil tenha o mesmo êxito.

Enquanto isso, Arthur Zanetti continua na sua luta para ganhar destaque na ginástica. A próxima chance do ginasta vem em breve, no campeonato nacional.

Como motivação, Zanetti tem a medalha de ouro, a qual ele disse queele vai colocar em um lugar especial para que possa olhar todos os dias e saber que esse foi o resultado de anos de treino que deram certo.

Glamour

Arthur Zanetti seguiu os passos básicos para se tornar um campeão olímpico, segundo Bruno Prada: teve humildade e foi dedicado em seu treino.

— A gente voltou no avião ontem (quinta-feira), foi um prazer conhece-lo. Ele tem humildade, ele tem dedicação, é um dos passos básicos para ser um campeão.

Prada, no entanto, alertou Zanetti para que aproveite enquanto ele está “por cima”.

— Ele tem um mês de glamour, depois isso baixa.

O velejador disse também que Zanetti precisa se preparar agora para ser tratado como uma nova pessoa.

— Ele nunca mais vai ser o Arthur Zanetti. Ele vai ser o medalhista Arthur Zanetti, e isso é muito bom para abrir as portas para ele. Eu vi a prova dele, fiquei muito impressionado com os movimentos, a solidez dos movimentos dele. Ele estava muito melhor que os outros.

Com apenas 22 anos, Zanetti tem que se preocupar com a carreira e aproveitar enquanto é jovem, já que raramente existem ginastas de muita idade em olimpíadas. Bruno Prada, no entanto, também tem preocupações. Com 32 aos de carreira e a exclusão da classe Star dos Jogos Olímpicos, o velejador precisa correr se quiser participar das próximas olimpíadas.

— Hoje estamos discutindo mudança de categoria, se eu quiser competir em 2016. A consequência é eu voltar para a classe Finn, o Robert [Scheidt] para a classe Laser, mas isso não quer dizer que se a classe voltar eu e o Robert não voltemos a fazer dupla. Mas quem sabe a exclusão da classe Star não seja benéfica e o Brasil não ganhe duas medalhas na vela.

Com as medalhas de Bruno Prada e Arthur Zanetti, o Brasil mostra sua força não só na vela, mas que também tem potencial para tirar o domínio da ginástica de países como China e Rússia. Ainda faltam quatro anos para as próximas olimpíada, e esse é o tempo que o Brasil vai ter para mostrar seus atletas não tiveram apenas sorte.

O R7 transmite os Jogos Olímpicos de Londres ao vivo, em cinco canais exclusivos, 24 horas por dia. E durante os Jogos, além da transmissão ao vivo e com sinais exclusivos, você encontra no portal os vídeos de todos os melhores momentos da maior disputa esportiva do mundo. Até o dia 12 de agosto, Olimpíada é no R7, Record e Record News, os canais oficiais de Londres.

Quadro de Medalhas

Últimas Notícias

Agora na Record

Facebook